Grattage

Grattage

Grattage (do francês) é uma técnica de pintura surrealista na qual, uma vez seca, a pintura se desprende da tela mediante "rupturas", criando um efeito de relevo, gerando textura e aparência tridimensional fortes[1]. Em tradução literal do francês, "Grattage" significa "Raspagem".

A técnica foi inventada em 1927 pelo artista surrealista Max Ernst, que usou marcas inesperadas em seus quadros para criar essa nova forma de textura.[2][3] Além de suas obras, a técnica também foi empregada por Joan Miró[4].

Posteriormente, foi utilizada no informalismo, especialmente por Antoni Tàpies.[5]

  1. M. A. Caws, Mary Ann Caws, Surrealism, Phaidon Press, 2004
  2. «Collage, Frottage, Grattage… – Moderna Museet i Stockholm». Moderna Museet i Stockholm (em inglês) 
  3. Max Ernst, Metropolitan Museum of Art, New York, 2005
  4. Giulio Carlo Argan, Studi sul surrealismo, Volume 1, Officina, 1977
  5. Antoni Tàpies, Antoni Tàpies, Volume 2, Skira, 1998

Copyright