Sismos de El Salvador de 2001

Sismos de El Salvador de 2001
Profundidade 39 km (13 de janeiro) e 13 km (13 de fevereiro)
Magnitude 7.7 e 8.0 (13 de janeiro)[1] e 6,6 (13 de fevereiro)[2] MW
Data 13 de janeiro e 13 de fevereiro de 2001
Zonas atingidas El Salvador
Vítimas 1259 mortos 944 (13 de janeiro) 315 (13 de fevereiro)

Os sismos em El Salvador de 2001 foram dois fortes movimentos telúricos que se registaram em El Salvador em 13 de janeiro e 13 de fevereiro de 2001.

No ano de 2001, El Salvador sofreu dois sismos com um mês de diferença entre eles, o primeiro deu-se no sábado 13 de janeiro às 11:34 da manhã, e o segundo na terça-feira 13 de fevereiro. Ditos sismos afectaram gravemente vários departamentos da república, trazendo consigo destruição e perdas humanas, sendo o principal símbolo destas últimas, o talude de terra que acabou com a vida de centenas de salvadorenhos na Colónia "Las Colinas" em Santa Tecla morreram 700 pessoas, facto ocorrido no primeiro dos terramotos. Estima-se que a cifra total de falecidos para ambos terramotos ascendeu a 1 259. No plano económico, El Salvador sofreu perdas estimadas de 1 603,8 milhões de dólares, produto de perdas em exportações, danos materiais e danos ambientais. Do mesmo modo, ambos sismos geraram graves perdas culturais, devido à destruição total ou parcial de monumentos nacionais de grande valor para a história nacional.

Sismo de 13 de janeiro de 2001

Fenómeno de subdução

Às 11:33 hora local (17:33 UTC) de sábado 13 de janeiro de 2001, um sismo com uma magnitude de 7,7 8,0 Mw e uma duração de 45 segundos, ocorrido na costa salvadorenhas, provocou uma grande destruição, principalmente em 172 dos 262 municípios do país, entre os quais podem se mencionar: Santa Ana, Jayaque, Comasagua, Nova San Salvador, San Vicente e San Agustín.[3] Foi o sismo mais forte que tem açoitado ao país após o ocorrido em 10 de outubro de 1986 provocando um grave dano humano, económico e social a El Salvador.[4]

A sacudida foi equivalente a detonar 160 milhões de toneladas de dinamite. A causa do sismo foi o processo de acomodação das placas tectónicas "Cocos" e "Caraíbas", um fenómeno chamado subducção, e cujo epicentro esteve localizado no oceano Pacífico, especificamente a 100 quilómetros da cidade de San Miguel.[5] O hipocentro estava a uma profundidade aproximada de 39 quilómetros.[6]

O maior impacto do sismo deu-se na Colónia "As Colinas" de Santa Tecla onde um talude de 150 mil metros cúbicos de terra se desprendeu da Cordilheira do Bálsamo, sepultando para perto de 200 casas e com elas muitas pessoas.[7] Pela envergadura do ocorrido, essa zona converteu-se no principal símbolo do chamado "sábado negro".[8] Num futuro, graças à colaboração de Taiwan por um montante de 2,6 milhões de dólares, construir-se-á em dito lugar um parque memorial em honra a todas as vítimas do sinistro; no entanto, há uma forte oposição por parte dos proprietários que sobreviveram ao sinistro.[9]

Do mesmo modo, outra das zonas que se viu afectada, foi a estrada Pan-Americana, especificamente à altura do turicentro "Los Chorros", onde se deu o desprendimento de uma grande quantidade de metros cúbicos de terra e pedra, o qual sepultou totalmente o trecho da estrada e com ela várias pessoas, afectando desta maneira a principal via de comunicação entre a capital San Salvador e o ocidente do país (Santa Ana, Sonsonate e Ahuachapán) e o vizinho país da Guatemala.[10]

Vista aérea da zona afectada nas Colinas, depois do primeiro terramoto

Total de baixas humanas: 944 falecidos, 193 soterrados, 125 desaparecidos, 5565 feridos, 1 364 160 danificados, 68.777 evacuações, 39 000 desempregados e 24 000 pescadores artesanais afectados.[4]

Total de cifras materiais: 277 953 moradias incluindo 688 soterradas, 32 000 micro e pequenas empresas destruídas, 1385 escolas (109 destruídas por completo), 94 hospitais, 1155 edifícios públicos, 16 penitênciarias, 43 cresces, 98 monumentos nacionais e aproximadamente a quarta parte de estradas pavimentadas.

Segundo relatório da Comissão Económica para América Latina e o Caraíbas (CEPAL), o total de danos materiais foi de 1255,4 milhões de dólares, dos quais se desprende um total de 823 milhões apenas para o sector privado.[11]

O sismo de 13 de janeiro deixou um grande impacto na cultura do país, iniciando com que a maioria de danos se deram em igrejas coloniais que tinham suportado o grande número de sismos sofridos na região nos últimos duzentos anos. Segundo informação do Conselho Nacional para a Cultura e a Arte de El Salvador (CONCULTURA), ao menos 28 igrejas coloniais, das 90 existentes, sofreram danos severos, incluindo 6 que são consideradas monumentos nacionais, entre as quais estão: a catedral de Santa Ana e a igreja de Santa Cruz de Roma, localizada em Panchimalco. Por outro lado, em Santa Tecla, onde ocorreu a tragédia das Colinas, o sismo afectou gravemente a sede da Biblioteca Gallardo, a maior biblioteca privada de América Central, aberta ao público em 1948, a qual se desmoronou completamente deixando entre seus escombros uma enorme colecção salvadorenha e importantes instâncias como "Vues des Cordilléres" de Alexander von Humboldt, entre outros.[12] A colecção desta biblioteca possui edições pertencentes aos séculos XVI, XVII e XVIII.[13]

De acordo ao relatório apresentado pela Comissão Económica para América Latina e o Caraíbas (CEPAL), o sismo afectou em grande magnitude o meio ambiente do país, fazendo-lhe mais vulnerável ao efeito de fenómenos naturais como furacões. Como efeitos directos do sismo, se tiveram grandes derrubes e deslizamentos de terra, afectando infra-estruturas e assentamentos humanos. Deu-se a perda e degradação do solo, afectou-se gravemente zonas agrícolas pela acumulação de sedimentos, teve danos em bacias e avariadas devido à acumulação de escombros, teve perdas na flora e fauna, o qual significou a perda de bens e serviços como lenha, controle de inundações, abastecimento de água, etc. Também se apresentou uma diminuição na actividade pesqueira nas zonas costeiras e perdas consideráveis de plantações de café. Tudo isto deu um total estimado de 67 452 milhões de dólares em perdas por danos directos e indiretos.[14]

Terramoto do 13 de fevereiro de 2001

Epicentro dos terramotos: 13 de fevereiro; Vermelho-Diferentes estações sísmicas da América Central, Verde-NEIC (Estados Unidos). 13 de janeiro; Azul-NEIC (Estados Unidos)

Exactamente a um mês de ocorrido o primeiro sismo , ocorreu outro no dia terça-feira 13 de fevereiro de 2001.[15]

O sismo ocorreu às 08:22 hora local (14:22 UTC) com uma magnitude de 6,6 Mw e uma profundidade de 13 km com uma duração de 20 segundos, com epicentro em San Pedro Nonualco La Paz. Os departamentos mais afectados por este sismo foram: Cuscatlán, San Vicente e La Paz.[15] A maioria das vítimas encontravam-se nos departamentos de Cuscatlan (165 mortos), San Vicente (87 mortos) e La Paz (63 mortos) .

As perdas humanas deram um balanço de 315 falecidos, 3399 feridos, 252 622 danificados, 37 desaparecidos, entre outros. Perdas materiais: 57 008 moradias destruídas, 82 edifícios públicos, 111 escolas e 41 hospitais .

Alguns dos sectores afectados pelo terramoto foram: San Martín, San Salvador, San Miguel, San Juan Tepezontes e Candelaria no Departamento de Cuscatlán onde se registou uma das piores desgraças já que alguns meninos morreram soterrados numa escola.[16] Registaram-se derrubes nos vulcões de Santa Ana e San Vicente, a cordilheira do Bálsamo, montes San Jacinto e Las Pavas. O epicentro do sismo foi localizado a uns 30 quilómetros de San Salvador, entre os departamentos de La Paz e Cuscatlán, a uma profundidade focal de 13,9 quilómetros, segundo o Centro de Informação de Terramotos de Estados Unidos. Ao todo, as cifras unidas com as do terramoto do 13 de janeiro deram um total estimado de perdas de 1 603,8 milhões de dólares, equivalentes ao 12,1 % do PIB, 43,5 % das exportações e ao 75 % do orçamento geral da nação para o ano 2001.

  1. USGS - January 13, 2001 (2001). «Historic Earthquakes - Magnitude 7,7 EL SALVADOR 2001 January 13 17:33:32 UTC». Consultado em 16 de novembro de 2012 
  2. USGS - February 13, 2001 (2001). «Magnitude 6.6 EL SALVADOR 2001 February 13 14:22:05 UTC». Consultado em 16 de novembro de 2012. Cópia arquivada em 30 de agosto de 2012 
  3. «Nacionales». La Prensa Gráfica. 2001. Consultado em 13 de novembro de 2007. Cópia arquivada em 26 de setembro de 2007 
  4. a b Cañas Dinarte, Carlos (2001). «El Salvador: cronología de una tierra danzarina». Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada em 26 de julho de 2010 
  5. Olivares, Carmen (2001). «Actuación de geólogos del mundo en la emergencia de los terremotos de El Salvador» 
  6. rescate.com (2001). «Terremoto en "El Salvador" - 13 de enero de 2001». Consultado em 14 de novembro de 2007 
  7. Protección Civil (2001). «Misión española de ayuda a El Salvador». Consultado em 27 de março de 2007. Cópia arquivada em 29 de março de 2007 
  8. «El inolvidable rostro de la tragedia». El Diario de Hoy. 2001. Consultado em 27 de março de 2007 
  9. «Damnificados de Las Colinas exigen devolución de sus lotes». Diario Colatino. 2007. Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada em 12 de junho de 2008 
  10. infocentros.org (2001). «Gobierno de El Salvador ordena evacuación de escuelas». Consultado em 14 de novembro de 2007 
  11. CEPAL (2001). «El terremoto del 13 de enero de 2001 en El Salvador. Impacto socioeconómico y ambiental.» (PDF). Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada (PDF) em 28 de setembro de 2007 
  12. Huezo Mixco, Miguel (2001). «Los estragos que ha dejado en la cultura salvadoreña el terremoto del 13 de enero». Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2007 
  13. «Biblioteca Gallardo retornará a su sede». El Diario de Hoy. 2006. Consultado em 14 de novembro de 2007 
  14. ECLAC.CL (2001). «Sectores productivos» (PDF). Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada (PDF) em 28 de setembro de 2007 
  15. a b Servicio Geológico Servicio Nacional de Estudios Territoriales (2001). «Terremoto del 13 de Febrero, San Vicente, El Salvador». Consultado em 14 de novembro de 2007 
  16. «Aumenta a 274 número de muertos en El Salvador». La Prensa Gráfica. 2001. Consultado em 14 de novembro de 2007. Cópia arquivada em 18 de novembro de 2007 

Copyright